Ghostgirl, de Tonya Hurley

Você precisa parar de viver e começar a morrer.

Ghostgirl é para quem gosta do tema sobrenatural mas que não gosta de sentir medo de fato. Neste livro, o que assusta de verdade é a obsessão de Charlotte pelos populares do colégio, querendo a todo custo ser um deles, e nem a morte foi capaz de por um fim nessa perseguição insana. De leitura fácil porém arrastado, ele conta com alertas sobre as escolhas de Charlotte e referência á poetas, músicos e escritores sombrios em cada capítulo. O humor negro e o ridículo me levaram a rir um pouco, mas o que mais gostei foi a forma de nos fazer pensar sobre a morte e no quanto "tentar ser quem não somos" é também um tipo de morte. Morremos ao imitar alguém, a querer a todo custo fazer parte de determinado grupo, ao querer atenção apenas por carência, dessa vontade em querer ser especial. Aceitar que isso é a morte do nosso eu é começar a viver.
É seguir em direção a luz.

Você não admite a situação que está!
O livro foi lançado em 2008 e é uma trilogia, não sei se tinha necessidade de continuação e não sei se vou querer ler os outros, acho que a história teve seu desfecho. Se alguém já leu, me diga o que achou!
Apesar da temática adolescente, indico para os adultos também pois esse comportamento, se você não o percebe, continua a assombrar o resto da vida.

Nenhum comentário