Victoria e o Patife, de Meg Cabot


Parece que esse foi o meu primeiro romance de época lido. É, eu nunca li romance de época antes e tenho certeza que esse livro é bem diferente das histórias de Julia Quinn e Lisa Kleypas (são as que ouço serem mais indicadas).

Victoria ou Lady Victoria Arbuthnot é uma adolescente de 16 anos que saiu da Índia com 40 mil libras de herança e foi morar na casa dos seus tios na Inglaterra. Durante a viagem da Índia à Inglaterra, a bordo do navio Harmonia, Vicky conhece o atraente e sedutor Lorde Malfrey ou Hugo Rothschild. Logo, o Lorde se interessa pela Lady e em pouco tempo, durante a viagem, a propõe em casamento. Meio absurdo, mas naquela época o casamento acontecia bem mais cedo, e Victoria aceitou, mesmo tendo que se separar do Lorde por um curto período, pois ele desembarcaria em Portugal para tratar alguns assuntos e Vicy continuaria sua viagem para as terras inglesas.

...A visão do lorde louro e alto quase sempre a deixava com as bochechar coradas - sem falar da curiosa palpitação que sentia no pulso. Ele era muito bonito. Que mulher não ficaria ruborizada ao ser notada por um homem tão charmoso?

Ainda no navio, conhecemos o Capitão Carstairs, um oficial da marinha, que adora provocar Victoria, chamando-a de Srta. Abelhuda.

Mas que chatice! Como era cansativo esse Jacob Carstairs! Desde que embarcara no Harmonia seis semanas atrás no Cabo da Boa Esperança, sempre aparecia nos momentos mais inoportunos, por exemplo a toda hora que ela e o conde encontravam um raro instante a sós.

Então, Lady Victoria chega a Inglaterra, já com a notícia que dará aos seus tios que irá se casar. Na verdade, de início ela não quer contar a eles, pois não quer escutar muito "blá-blá-blá" de que não deveria se casar ainda, e é aí que Jacob conta aos tios de Victoria e ela escuta sim toda a ladainha.
Mesmo assim, Victoria é determinada e está disposta a seguir com o casório, aguardando o seu amado Lorde Malfrey retornar.

Além de todo o enredo do casamento, Vicky trabalha em ajudar a melhorar a família com que ela está morando, ensinando os criados a fazerem melhores comidas e como se portar, ensinando o tio a conversar mais, ajudando sua prima Rebecca a também encontrar o seu amor e casar-se. Todo o foco é na vida de Victoria e em saber quem é o verdadeiro patife nessa história.

Afinal, tanto o amor quanto o ódio são emoções muito fortes, então naturalmente incitam reações também intensas.

O começo dessa história estava bem arrastado e eu achei que não fosse conseguir terminar, talvez a narração em terceira pessoa e os poucos diálogos tenham impactado na fluidez da história. Victoria se mostra uma garota muito chata, ela acha que sempre está certa e quer que as pessoas façam as coisas do jeito dela. Mas ao mesmo que ela é chata, ela tem uma personalidade muito forte, poderia dizer que ela traz um lado Girl Power, Vicky tem a sensibilidade de querer ajudar todas as pessoas e lutar contra muitos costumes da época.

Bom, depois de a história se encaminhar, com muitas cenas previsíveis, vai ficando melhor e mais interessante de se ler, justamente devido as atitudes positivas que eu citei anteriormente da Srta. Abelhuda. No final eu gostei bastante do livro, acho que quem já é acostumado a ler romances de época vai gostar, e acredito que não seja um bom livro para iniciantes desse estilo, mas não sou a melhor pessoa para falar sobre romances de época, como mencionei no início esse foi o meu primeiro. Ainda assim, acho uma leitura muito válida, principalmente (repetindo, porque essas cenas foram muito boas) devido a autora querer mostrar essa mensagem de ajudar e quebrar preceitos sobre as mulheres.

Dessa vez vou deixar uma nota: 3,5/5 (bom).

14 comentários

  1. Oiee ^^
    Eu até que gostei desse livro, mas é juvenil, então as coisas são clichês e previsíveis demais :/ não ando curtindo os livros que a editora está lançando da Meg </3
    Ainda assim, é um livro bacana de se ler, né? Curtinho e bem leve.
    MilkMilks ♥
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Eu li alguns romances de época, mas é bem menos do que eu gostaria e nenhum foi da Quinn e da Lisa.
    Tenho um certo problema com livros com pouco diálogo, não gosto de leituras que se arrastam, por outro lado a autora ressaltar a quebra dos preconceitos contra mulher é um ponto comigo. Deixo a dica anotada, quem sabe um dia eu leia.

    Beijos.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oie! Adorei sua resenha, sempre tive curiosidade para ler esse livro, então seu post foi bem util pra mim. Não curto muitos romances de época, mais esses que são escritos atualmente, então acho que vou gostar. E quero saber quem é o patife! Haha

    ResponderExcluir
  4. Oi, tudo bem?

    Li esse livro este ano, mas não achei tudo aquilo que ouvi de alguns. Gostei, mas não consegui me apegar muito bem com a protagonista. Além de ficar um pouco irritada com algumas coisas da narrativa.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Oiii tudo bem??

    Nunca li romance de época, e pretendo iniciar que nem você, pois bem. Não iniciaria por esse, primeiro que nem imaginei ser de época pela capa. Segundo que pretendo iniciar por Julia Quinn.
    Espero gostar, mas apesar de tudo a historia parece bem fofa.
    Adorei a resenha.
    Bjus Rafa

    ResponderExcluir
  6. Que bonita a sua foto. Mas não sei se eu ia curtir o livro, nunca li nada da autora e só por você dizer que foi meio arrastado já fico com medo, apesar de ser normal mesmo elas se casarem cedo assim e com pessoas até mais velhas muitas vezes. Mas sabe que nunca ia imaginar que era de época.

    ResponderExcluir
  7. Olá ♥
    Acho a capa desse livro um mimo. Nunca li nada da autora e tenho uma certa curiosidade. Mas saber que as vezes temos a falta de dialogo é algo que me incomoda, as vezes é bom sabermos o que um personagem está pensando, mas ficar meio preso nisso é ruim. Narração em terceira pessoa em romance de época não me incomoda.Gostei bastante das suas opiniões e com toda certeza levarei todas em conta.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Oi, tudo bem?
    Quando se trata de Meg Cabot eu não sou capaz de opinar, nunca li nada dela, mas geralmente quando vejo resenhas são altos elogios, e pelo que vi aqui, esse não é lá um dos seus melhores livros. Ademais, romance de época é um gênero que eu evito,e um com uma personagem tão nova, bem... eu não conseguiria romantizar a história =|.
    Dessa vez eu deixo a dica passar.

    ResponderExcluir
  9. Oi, gosto da Meg e romances de época, mas esse é um livro que daria para minha irmã mais nova. Ele apesar de parecer divertido pela sua resenha, parece bem juvenil. Bjs

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Conheço os livros da Meg Cabot mas,não conhecia esse bem diferente.Eu só li apenas um romance de época e sempre quero ler outro mas,nunca consigo achar o 1 dos famosinhos. :/
    Esse parece bem mais juvenil e com uma pegada mais leve,eu gosto desses livros recentes de época porque eles mostram uma mulher mais forte e com decisão.
    Espero poder conhecer esse livro.
    bjs

    ResponderExcluir
  11. Oi, Amanda

    Eu adoro romances de época, é o meu gênero preferido do momento. Esse eu não leria, pois é juvenil demais para mim.
    Não é a primeira vez que vejo alguém falar que a Victoria é chata... só pelo pouco que eu pesquei dela através das resenhas ela parece chata mesmo! Hahaha
    Que bom que a história deu uma melhoradinha depois do começo difícil.

    Beijos
    - Tami
    http://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  12. Acredita que nunca li nada da Cabot? Tenho interesse em ler os romances de época dela, mas estes YA não me chamam a atenção ainda.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Oi,
    eu sou apaixonada por romances de época e como você mesma suspeitou este é bem diferente do que costuma ser os livros do gênero, principalmente por se tratar de um juvenil e nos romances época geralmente as mulheres são mais maduras. Eu quero muito ler algum livro da Meg, mas não estou muito inclinada a começar por este já que tenho lido muitas críticas a personalidade desta protagonista. Sugiro que você leia algo da Júlia Quinn caso tenha interesse em conhecer melhor o gênero.

    Abraços!
    Nosso Mundo Literário

    ResponderExcluir
  14. Oi!
    Vi tantas resenhas negativas desse livro que acabei desanimando muito de ler, não gosto de personagens chatas, e por mais que ela tenha um lado gentil de querer ajudar as pessoas essa personalidade irritante já me deixa longe do livro =/

    ResponderExcluir