Gostar de Ostras, de Bernardo Ajzemberg


Gostar de Ostras é um livro publicado pela Editora Rocco, do autor Bernardo Ajzemberg. O autor traz a história de um jornalista solteiro e entediado de trinta e poucos anos e um espalhafatoso casal de franceses octogenários são os protagonistas do novo romance do prestigiado escritor, tradutor e jornalista Bernardo Ajzenberg. Em Gostar de Ostras, Marcel e Rachelyne Durcan invadem o cotidiano monótono de Jorge, seu vizinho, de forma semelhante à trepadeira que cresce desordenadamente no jardim do prédio onde moram, compensando sua presença caótica com uma flor roxa de beleza intensa. Com sua prosa ao mesmo tempo firme e sensível, Ajzenberg envolve o leitor com a história dessa amizade improvável, que levará os Durcan a revisitar seu passado difícil, incluindo os motivos que fizeram com que deixassem seu país, e que mostrará a Jorge que a vida pode ser mais desafiante e colorida do que ele se acostumou a imaginar

A princípio, eu não sabia o que esperar desse livro, pois não havia lido nada dele na internet. O que me chamou a atenção, foi justamente a capa, que trazia uma espécie de árvore com raízes e uma cor rose nude de fundo. Não conhecia o autor, não entendia muito bem o que a história queria passar, mas fui profundamente imersa quando comecei a ler e acabei tendo uma das melhores experiências literárias do ano.

*~~*

Acho importante quando um livro traz a banalidade do cotidiano e mostra que, muitas vezes, ficamos em um estado de inércia muito grande. Incapazes de degustar os prazeres da vida, apenas focados na rotina que acaba ficando intrínseca em nós. Quando o personagem Jorge, conhece o casal francês, ele vê seu cotidiano abalado e ameaçado, e como lidar com isso? Como lidar com o novo?

A narrativa do autor é em 1ª pessoa e mostra exatamente como Jorge se sente ao conhecer o casal. Há um momento que ele até pensa em como a risada de Rachelyne é escandalosa e como isso o incomoda de certo ponto. A escolha da 1ª pessoa me pareceu importante para mostrar justamente a quebra de expectativa do personagem e principalmente para situar o leitor dentro de sua cabeça e de todo aquele processo de mudança.

"Desde os primeiros momentos, fiquei pasmo com a risada histérica, aguda e espaçosa de Rachelyne, absolutamente desproporcional ao seu corpo de no máximo quarenta quilos distribuídos em, se muito, um metro e meio de altura. Não que fosse algo muito comum, mas quando ela ria era para valer:  o som parecia o canto de uma coruja assustada no meio da noite" p; 55

Os personagens são cativantes a sua maneira, pude ver o contraste em cada um e isso foi muito curioso e até mesmo desbravador. O livro não possuí nem 200 páginas, portanto, há um pouco desenvolvimento por parte do casal, visto que o foco está mesmo em Jorge, esse sim, um personagem bem construído e desenvolvido dentro da história. A escrita do autor é envolvente e poderosa, me deixando totalmente cativada e imersa enquanto lia. Além disso, causa um sentimento de pertença no leitor, porque em muitas situações nos enxergamos em Jorge.

Em suma, não consegui ainda colocar em palavras o meu sentimento com esse livro. Eu gostei muito, mas não consigo identificar totalmente o que eu mais gostei. Gostar de Ostras é um livro poderoso e que me fez me sentir de forma diferente durante a leitura. É com certeza uma leitura que eu indico para todo mundo que busca um livro que te faz crescer junto com o personagem e entender melhor a importância de certos detalhes na vida. 

Livro cedido em parceria com a editora Rocco.

10 comentários

  1. De imediato a capa me cativou e isso somente de firmou conforme eu lia a resenha. Gosto deste tipo de escreita, que nos transporta para o corpo dos personagens.
    Deixo a dica anotada.

    Beijos.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Heiii, tudo bem?
    Ainda nao conhecia a obra, mas já vi que é um livro que nos toca profundamente e nos modifica.
    O que de cara me chamou a atenção foi o título "Gostar de Ostras", acho que já aguça a curiosidade e ao ler a sua resenha super positiva, só posso dizer que quero mto ler.
    Adorei a dica de leitura e espero conmprar na BLACK.
    Beijos.

    Livros e SushiFacebookInstagramTwitter

    ResponderExcluir
  3. Eu gosto destas coisas de ler sobre cotidiano, mas também depende de não ficar uma leitura lenta. Gosto de ver coisas diferentes e como elas se encaixam no nosso dia a dia também.

    ResponderExcluir
  4. Oiee Anelise ^^
    Um dos resenhistas lá do blog está para ler esse livro, e eu tô curiosa para saber o que ele vai achar do livro. Fico feliz em saber que você gostou, mas não é o tipo de livro que eu pegaria para ler, a premissa dele não me chamou muito a atenção (apesar de você ter mencionado que te fez se sentir diferente após lê-lo). Quem sabe um dia :)
    MilkMilks ♥
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Recebi esse livro de parceria com a editora e não vejo a hora de começar a lê-lo, o que me interessou foi justamente isso, a escrita em primeira pessoa e como essa sensação de pertencimento surge de acordo com a história, essa é a primeira resenha que vejo sobre a obra e espero poder ficar tão realizada quanto você após a leitura.

    ResponderExcluir
  6. Adoro livros assim, que nos desestabilizam ao ponto de não conseguirmos identificar o que foi mais forte na leitura. Fiquei super interessada no enredo porque tenho lido livros medianos e estou louc apor uma leitura mais intensa!!!
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Oi Anelise,
    acredito que essa leitura faz meu gênero e que eu poderia aprender muito com ela. Sou o tipo de pessoa que você cita em suas considerações, sou adepta da inércia, não me incomodo com a monotonia e a rotina robótica, muitas vezes até gosto e por saber que esse estilo de vida não pode ser saudável como se deve me interessei pela proposta desse livro, como também nunca ouvi falar dele antes vou procurar saber mais a respeito.

    Abraços!
    Nosso Mundo Literário

    ResponderExcluir
  8. Oi!
    Eu ainda não conhecia esse livro, sinceramente ele nem me chamaria atenção na livraria, mas adorei poder conhece-lo aqui.
    Realmente são poucos os livros que mostram a banalidade da vida, uma vida comum que a maioria das pessoas do mundo leva, e quando retratado de forma brilhante com certeza é uma história que merece ser lida e apreciada.

    ResponderExcluir
  9. Olá,

    Eu acho muito bacana quando lemos um livro e ele muda de alguma forma nossas vidas, não conhecia essa obra, mas só essa capa charmosa e simples me chamou a atenção, quando li sua opinião fiquei ainda mais interessada, espero lê-lo logo.

    Beijos,
    oculoselivrosblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Olá Anelise,
    Ainda não conhecia esse livro, mas, assim como você, gosto de livros que retratam o cotidiano e nos fazem pensar. Também gostei muito de você ter dito que é um livro que nos muda, sabe? Eu imagino como deve ser ler esse livro e o boom que ele faz em nossa mente.
    Vou anotar a dica.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir