Lembra aquela vez, de Adam Silvera


Lembra aquela vez, do autor Adam Silvera, é um livro young adult lançado pela Editora Rocco, que conta a história de Aaron Sato, um jovem que está crescendo no Branx, em NY, pouco tempo depois de tentar o suicídio e de encontrar seu pai morto com a própria navalhada de barbear. Aaron assiste atentamente a mãe conferir os folhetos de um novo instituto que realiza cirurgias para apagar memórias. Nosso protagonista se aproxima da namorada, que sempre esteve ao seu lado, inclusive e principalmente nos momentos mais difíceis, mas é quando conhece Thomas, um garoto da vizinhança, é que se tornam grandes amigos, inclusive para esses momentos difíceis e, é nessa amizade, que surge um sentimento diferente entre Aaron e Thomas e cada vez mais os dois estão se apaixonando. 

A galera da vizinhança, que nunca deu bola para Aaron, inclusive nos momentos mais difíceis, resolve dar uma lição no garoto, para ensinar que aquilo era errado, mas Aaron acaba batendo a cabeça, e algo acontece. Novas memórias começam a surgir. Será que ele foi submetido ao processo do instituto? Mas para esquecer exatamente o que? O que aconteceu?
"As lembranças continuam girando na minha cabeça, torcendo dentro de mim como uma faca. Não quero esperar para ver o que vai acontecer comigo nesta história trágica que estou vivendo." Pág. 224

Quase não li livros com a temática LGBT, mas quando vi a sinopse de Lembra aquela vez, fiquei totalmente empolgada para conferir, visto que conheço poucas histórias do gênero e a sinopse realmente me chamou a atenção. O que encontrei nesse livro foi uma sensibilidade inacreditável por parte do autor, capaz de transpassar através das páginas e tocar meu coração e minha mente, me fazendo pensar por horas e chorar muito após a finalização da leitura.
Fazia muito tempo que eu não lia young adults, mas Lembra aquela vez, me fez perceber que tudo está a salvo e que romances originais ainda existem. Fiquei extasiada com a forma de contar a história de Aaron, a construção dos personagens e seus desenvolvimentos, me fez perceber que tudo isso é muito importante, a causa é muito importante e eu comprei a história do personagem e me senti pertencente a ele e a sua história. O que o autor fez foi brincar com os sentimentos do leitor, dando uma narrativa em 1ª pessoa e fazendo com que a imersão seja totalmente realista.

A escrita do Adam é fluída, mas o leitor consegue sentir a densidade e o peso que algumas horas o livro traz, justamente abordando a tentativa de suicídio e o preconceito. Além disso, a forma de lidar do personagem é muito interessante, é como se o leitor realmente entrasse na cabeça de Aaron e sentisse tudo o que ele sente e pensa. O desenvolvimento do romance foi uma das coisas mais lindas e amáveis que eu já presenciei na literatura. Nada foi depressa, tudo foi tão sereno quanto os protagonistas. Uma das coisas que eu mais gostei desse livro, é justamente o autor trazer os personagens sem máscaras, e sim, sendo quem eles realmente são.

É um livro de verdade, um livro muito bem escrito. Em suma Lembra aquela vez é um romance inteiramente sensível e totalmente necessário, abordando temáticas importantes para os adolescentes e jovens adultos e, o melhor de tudo, fazendo com que pessoas consigam olhar de fora da situação e enxergar os personagens, enxergar isso nos seus semelhantes e criar um laço de empatia que é deveras importante no momento atual. Se você busca livros que falem sobre romances LGBTs, que falam sobre a importância da amizade, da família e do amor, é uma ótima dica. Não me arrependi e você também não vai se arrepender.

9 comentários

  1. Eu fiquei completamente no chão com esse livro! Adorei a temática e a forma como o autor conduziu a narrativa, e o plot foi muito interessante. A ideia de flertar com uma coisa meio futurista também foi demais, e o personagem é bem construído. Passei um tempo refletindo sobre ele quando terminei, e estou para liberar a resenha dele também hahaha É um daqueles títulos que precisamos de alguém para comentar sobre, né? Um beijo!

    ResponderExcluir
  2. Oi,
    até hoje li apenas um livro com a temática lgbt e nem de longe trazia a tensão que esse parece abordar, na verdade o que eu li é bem leve em comparação a esse. Acredito que devido o preconceito e o suicídio estarem tão diretamente envolvidos na história do protagonista a carga emocional desse livro seja realmente muito maior, eu nunca tinha ouvido falar nele, mas sua resenha me fez querer conhecê-lo melhor.

    Abraços!
    Nosso Mundo Literário

    ResponderExcluir
  3. Li poucos livros do gênero, mas os que li gostei muito. Este está na minha lista de desejos, por possuir assuntos importantes que pra nossa sociedade é tratado como tabu.
    Gostei da sua visão sobre o livre, uma ótima dica.

    Beijos.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Olá, como vai?

    Nunca li nenhum livro com a temática LGBT, e acho que esse será a minha primeira experiência. Não conhecia o livro até me deparar com sua resenha, que me deixou bastante instigada a conhecer a história. Achei a proposta do livro muito interessante, e assim que tiver uma oportunidade, farei a leitura com certeza.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Estava pensando se já tinha lido um livro LGBT mas já li sim, porque na verdade para mim parece uma coisa tão natural que nem me pego pensando e agora vi como é estranho né? É como pensar se lemos X gênero. Gostei da premissa deste e me lembrou do filme brilho eterno de uma mente sem lembranças!

    ResponderExcluir
  6. Hummm eu ainda não sei se quero ou se não quero ler o livro....
    Comecei achando que parecia muita coisa junta em um mesmo enredo, mas conforme fui lendo sua resenha fui ficando curiosa e querendo saber mais de alguns detalhes. Ao mesmo tempo me parece que já sei o que vai acontecer, me entende? Não sei, posso estar julgando demais só pela premissa e para tirar a dúvida só lendo, né?
    Acho legal que as editoras tem publicado mais livros com temática LGBT (amo os livros do Levithan nesse estilo) ;)
    Beijinhos,
    Lica

    ResponderExcluir
  7. Oii Anelise, tudo bem? Gostei muito da sua resenha e saber que gostou tanto da leitura. Eu adoro livros lgbtq+ e sempre leio comentários muito positivos sobre as obras desse autor. Espero conseguir ler esse em breve :D
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Olá, tudo bom?
    Também não tenho costume de ler livros com temática LGBT, mas confesso que esse chamou muito minha atenção, principalmente por você ter dito que ele faz com que criemos empatia pelo personagem e pelo próximo, que está faltando tanto em nossa sociedade hoje em dia. Já quero conhecer essa escrita que transpassa sentimentos e que é tão delicada. Espero gostar tanto quanto você! Amei a resenha <3

    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Que capa linda!
    Ainda não li nenhum livro com a tematica toda LGBT, pois n tive a oportunidade. Mas amei sua resenha, essa capa, e todo o enredo dessa obra. Parece incrivelmente delicada, e acho que seria uma leitura maravilhosa!

    ResponderExcluir