[RESENHA] Livro: Clarissa - Erico Veríssimo

Ano: 2005
Editora: Companhia de Letras
Autor: Erico Veríssimo
Páginas: 184
Sinopse: Clarissa vem de uma cidadezinha do interior para estudar na capital, Porto Alegre, onde mora na pensão de tia Eufrasina. Acompanhando o olhar da jovem alegre e otimista, Erico Verissimo narra o despertar da consciência do mundo em uma adolescente. Clarissa retrata o cotidiano numa pensão familiar na Porto Alegre da década de 30 e, ao mesmo tempo, as convulsões do Brasil e do mundo naquele período
 Decidi contar para vocês o meu último ganho: O término da leitura do livro Clarissa, do nosso querido Erico Verissimo. Visto que, eu me apaixonei pela obra e principalmente por Seu Amaro e Clarissa pode acontecer uma versão idealizada, portanto... Adociquem o coração de vocês e embarquem nesse romance.
Clarissa, uma menina entrando na adolescência, com a alma pura e o coração esperançoso, foi estudar na capital gaúcha, mais precisamente na pensão da D. Eufrasina, uma mulher trabalhadora e solidária, que sempre procurou ajudar seus hóspedes.
 A história ocorre em volta da menina, seus anseios, suas curiosidades, suas descobertas e afins. Uma menina que vai descobrindo o caráter das pessoas e como elas são na sociedade naquela época, por volta de 1932. Levando em conta os acontecimentos do mundo, Erico deixa um pouco evidente os conflitos étnicos e religiosos, além dos econômicos.
Um personagem que não deixarei de citar é Seu Amaro, um homem amargurado, triste, solitário e que procura sempre a solidão juntamente com seu piano. Por todo o livro, ele é distante de todos na pensão, apesar de passar um agradecimento e um afeto por todos, especialmente a menina. Há um trecho, de que gosto muito, é da declaração de Seu Amaro para Clarissa, após ela ir agradece-lo pelo presente dos seus quatorze anos. O trecho dizia "Tu nunca poderias compreender. Nem tu nem ninguém sabe quanta ternura há em mim. Eu hei de ser sempre para vocês o Seu Amaro melancólico e taciturno, o Seu Amaro que trabalha num banco e faz música nas horas vagas, o Seu Amaro que vai ler os seus livros à sombra dos plátanos, o Seu Amaro que não sabe fazer um gesto de amizade nem de acolhimento. Vocês nunca compreenderão. E tu, menina, não podes compreender também a alegria íntima que me dás. Porque és poesia, és música, és... Nem sei o que és... Tudo isto se pode sentir, tudo isto se pode pensar. Mas nada disto se pode dizer. Seria piegas, seria idiota, como seria idiota também em dizer que eu te amo. Tenho mais do dobro da tua idade. E algumas rugas no rosto. Pirolito não pode apanhar o raio de sol. O raio de sol é de um outro mundo. Clarissa, se eu pudesse falar, se tu pudesses entender... Eu te diria que nunca desejasses que o tempo passasse. Eu te pediria que fizesses durar mais e mais este momento milagroso. A vida é má, menina, a vida envenena. Amanhã serás gorducha e prática como titia. Amanhã terás filhos, te transformarás numa matrona respeitável. Onde estará a menina em flor que corria no pátio atrás das borboletas? Mas tu tens curiosidade de conhecer a vida... É natural. Talvez nem compreendas a significação deste momento. Quanta coisa eu teria para dizer se eu pudesse falar, se pudesses entender..."
Percebeu como Seu Amaro se abre com Clarissa? Como ele se sente o tempo todo? E o melhor é que ela o vê como inteiro, como verdadeiro, ela vê sua verdadeira essência e o gosta, por isso.
Me identifico muito com Clarissa, essa vontade de conhecer o mundo, de participar das coisas com pessoas que gosto, de ser livre, provar o gosto da liberdade... E sempre Clarissa, em seus devaneios pensa nisso. Em como a vida se tornaria quando ela completasse seus quatorze anos ''eis de ser moça e poderei usar salto alto'' uma inocência fora do comum.
"Uma vez, há muitos, muitos anos, um menino olhou o mundo com olhos interrogadores. Tudo era mistério em torno dele. Era numa casa grande. O arvoredo que a cercava amanhecia sempre cheio de cantos de pássaros. O mundo não terminava ali no fim daquela rua quieta, que tinha um cego que tocava concertina, um cachorro sem dono que se refestelava ao sol, um português que pelas tardinhas se sentava à frente de sua casa e desejava boa tarde a toda a gente. Não. O mundo ia além. Além do horizonte havia mais terras, e campos, e montanhas, e cidades, e rios e mares sem fim. Dava em nós vontade de correr mundo, andar nos trens que atravessavam as terras, nos vapores que cortam os mares. Nos olhos do menino havia uma saudade impossível, a saudade de uma terra nunca vista."
(VERISSIMO, Erico. Clarissa; páginas 34-5)
Essa foi uma resenha postada em um antigo blog meu, no ano de 2013. Mas achei válido postá-la aqui, pois eu amei demais ler a obra e indico para todos, principalmente para quem quer conhecer mais de literatura brasileira!


33 comentários

  1. Adorei a resenha, os detalhes! Mas não é um livro que leria, não consigo me dar bem com romances, principalmente quando são melosos e idealizados. É algo muito fora da realidade pra mim, e não gosto de ler coisas assim. Mas com certeza deve ser um bom livro pra quem gosta! http://www.vivendonoinfinito.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, mas Clarissa é uma menina de 13 anos, não existe esse romance meloso e idealizado. :)

      Excluir
  2. Oi Anelise...
    Eu adoro a literatura brasileira, ms confesso que não conhecia este livro. Adorei a premissa, e sem dúvidas que eu leria. Muito bom quando nos identificamos com a personagem.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia sim, acho que vais gostar. É um livro bem doce, singelo e cativante. Não tem como não curtir. :)

      Excluir
  3. Veríssimo <3
    Ei, segui o blog. Nos segue também? *_*
    http://postandotrechos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Ainda não li nada de Veríssimo, mas me interessei bastante por esse. Gostei bastante da Clarissa e do Seu Amaro pelo que você descreveu na resenha. Acho que seriam os dois personagens que me encantariam.
    Ótima resenha!
    Beijos.

    Li
    Literalizando Sonhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho um bom começo Clarissa. É um ótimo livro, de um autor maravilhoso. Eles são personagens desbravadores, com certeza encantadores. Leia se puder. :3

      Excluir
  5. Não é a toa que as pessoas dizem que o Erico Verissimo sabe ser um clássico. Ainda não tinha lido nada dele, mas amei demais esse trecho. A forma como ele se abre sem rodeios para a Clarissa me encantou.
    Ainda não conhecia essa história
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele é um grande autor e tem essa coisa de encantar logo de cara. Vais gostar. :)

      Excluir
  6. Adorei sua resenha. Já queria ler o livro e agora quero ainda mais. Nunca li nada do autor e acho que irei começar por esse mesmo.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Olha eu gostei bastante da sua resenha, mas esse livro não seria um que eu pegaria para ler, porque não faz muito meu gênero. Dizem que o autor escreve coisas muito boas, mas eu não sou muito fan não. Mas espero que outros leitores tenham interesse de fazer a leitura =]

    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2015/07/resenha-o-cachorro-e-seu-menino.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estou colocando o link de uma outra resenha aqui
      porque você esta no mesmo grupo de comentários que eu
      http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2015/07/resenha-sombra-de-um-anjo.html

      Excluir
    2. Sério? Eu acho ele a sua ''cara''. Mas se tiver a oportunidade de ler, não a perca. :)

      Excluir
  8. Olá Anelise,
    Não vou mentir e dizer que amo os clássicos, já que nunca os li até o final, mas pela sua resenha, a sua escrita, é possível perceber o quanto a leitura foi maravilhosa pra você e o quanto o livro te tocou, e isso eu sei como é...
    Enfim, só parabeniza-la por ter consigo passar com suas palavras o tamanho da beleza do livro!

    Parabéns

    http://paraisodasideas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que comentário lindo Kelly, muito obrigada. é bem isso mesmo, o livro me tocou de uma forma bem única. Foi sensacional ler. Se tiver a oportunidade, não a perca. :)

      Excluir
  9. Livros brasileiros são ótimos, comecei a gostar mais deles quando precisei para o vestibular. Amo O cortiço, A ruivinha, A moreninha <3 é bom valorizar a literatura brasileira. Beijos, Érika

    *www.queroseralice.com.br*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim! Eu passei a olhar diferente para a literatura brasileira depois que li Dom Casmurro, rs. Sei que é uma leitura diferenciada, mas é muito rica. Sempre indico livros brasileiros, porque valem a pena. :DD

      Excluir
  10. Oie
    Sabe, eu tenho vergonha de admitir, mas nunca li nada do Erico =(
    Mas sua resenha me convenceu, preciso ler um livro dele logo, e vou começar por esse com toda certeza.
    Amei a premissa, e MDS que declaração lindaaa do Amaroooo. Realmente é muito profundo e tocante.
    Eu simplesmente amei.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que ler Clarissa vai ser uma experiência ótima para você. É um livro bem cativante! Vai com tudo, sei que vai gostar. :)

      Excluir
  11. Nossa, achei a resenha super detalhada e ao mesmo tempo sem dar spoiler. O livro parece ser muito detalhado e delicado. Me encantei com o seu Amaro <3
    Bjs, Isa
    http://pausaparaconversa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Oi, tudo bem?
    Que resenha linda <3
    Não conhecia o livro e fiquei bem curiosa!
    Bjs

    A. Libri

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo sim e você? Obrigada! Espero que leia e goste tanto quanto eu. :)

      Excluir
  13. Olá.. tudo bem??
    Nossa que trecho lindo de declaração... sabe que lendo sua resenha lembrei de um clássico que amo de paixão e estava pensando em reler depois de vários anos ... A Moreninha... eu amo esse livro e a historia... não tem como não gostar... eu não sou mais de ler clássicos, tenho que ser bem sincera, mas achei essa declaração... simples... sincera... com palavreados cheios de significados... adorei...xero!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Moreninha é um clássico mesmo. Eu não o coloco como um dos melhores que li, mas gostei bastante também. Talvez ele e Dom Casmurro foram os que me enfiaram na literatura brasileira. Haha Essa declaração é issom esmo, simples, sincera, mas cheia de significados. :)

      Excluir
  14. Olá Anelise. Confesso que ando um pouco afastada de clássicos, mas a premissa do livro é bem bacana, com um romance sem os mimimi da atualidade. Fiquei feliz por o livro ser fino e espero ter a oportunidade de ler.
    Beijos, sucesso.

    ResponderExcluir
  15. Oi, tudo bem?
    Não conhecia esse livro e fiquei bem curiosa. É uma obra diferente das que leio atualmente e gosto de expandir meus horizontes. Gostei muito de como você mostrou que curtiu a história.

    Beijos, Gabi
    Reino da Loucura

    ResponderExcluir
  16. Belo texto, ajudou-me a fazer minha própria análise da obra. Passar bem.

    ResponderExcluir
  17. minha mãe colocou meu nome por causa dessa personagem,e quando eu era criança ela me deu o livro pra ler,hoje que sou adulta estava relembrando isso e achei esssa pagina,achei incrivel como a minha historia tem se parecido com a do livro...

    ResponderExcluir