Ano: 1953
Direção: Ingmar Bergman
Estreia: 9 de Fevereiro de 1953 (Mundial)
Duração: 96 minutos
Classificação: Não recomendado para menores de 16 anos
Gênero: Drama e Romance
País de Origem: Suécia

Sinopse: Harry Lund tem 19 anos de idade e trabalha numa loja de porcelanas. Quase vizinho a ele, na loja de verduras, trabalha Monika, uma simpática e alegre garota de 17 anos. Assim que eles se conhecem a paixão explode. Mas por causa da idade deles, os dois sofrem com a intereferência dos mais velhos. Monika briga com os pais e decide sair de casa. Harry discute com o chefe e pede demissão. Sem mais nada que os prendem na cidade, os jovem decidem fugir de barco para uma ilha e passar algumas semanas juntos.
     Em fevereiro de 1953, estreava Sommaren Med Monika, traduzido no Brasil como "Monika e o Desejo''. Achei esse filme perdido na minha lista de desejos no filmow e acabei assistindo ele em um dia que não tinha muitas coisas para fazer. Conhecia alguns trabalhos do Bergman, mas nunca me aprofundei no cinema sueco e talvez aqui tenha sido o meu grande erro. Sommeren Med Monika, conta a história de dois jovens que se apaixonam perdidamente e decidem fugir. Parece um clichê? E até certo ponto pode ser considerado, mas o filme é deveras sincero sobre o amor, os relacionamentos e suas facetas.

     Aqui temos um Bergman mais realista, mas ainda assim ele nos passa uma mensagem bem simples, mas forte: que é o amor na sua forma mais idealista, e enquanto ele é ideal, ele é lindo e maravilhoso; mas um relacionamento, uma vida conjunta, a dois, é muito mais que o amor e às vezes, não é o suficiente se amar. O filme retrata isso, os relacionamentos. Os verdadeiros relacionamentos. Essa paixão avassaladora, que nos derruba muitas vezes, passa quando precisamos enfrentar problemas que nunca pensaríamos que fôssemos passar. 
     Somos pessoas espiando a vida de Monika e Harry. Vemos uma Monika ''louca'', extrovertida, alegre e arrisco um pouco fora do ''padrão'' que as mulheres daquela época precisavam seguir. Harry já um pouco mais calado, no entanto, era visivelmente possível enxergar a chama em seus olhos. A juventude florando, o desejo, o sexo, a vontade de fugir daquele sistema. Falando em flores, percebi uma metáfora sobre elas neste filme. No início do filme, em uma cena, é comentado que os novos amores surgem e florescem na primavera. Em seguida vem o verão, contido no título do filme, e com ele vem a felicidade desse novo amor, desse novo relacionamento. Depois vem o outono, onde aquelas flores que surgiram na primavera, começam a se fecharem, secarem e por fim, caírem. E no final, encerrando o ciclo, vem o o inverno e nesse fim não há nenhum vestígio do das flores que um dia floresceram, apenas os frutos colhidos durante todo aquele período, que as flores (relacionamentos) são capazes de produzir. 
     Eu gostaria muito de entender mais o cinema sueco e o próprio Bergman, no entanto, não possuo conhecimento o suficiente para citar suas influências, além do espelho no cinema francês da época. Aqui vemos a passagem da adolescência para a vida adulta e todo o transtorno que todos nós passamos ao adquirir certas responsabilidades que antes não tínhamos. Talvez para os amantes de 'O sétimo Elo'', também filho de Bergman, percebam que Sommaren Med Monikas é um filme que ausenta de uma filosofia profunda, sendo mais bucólico e simples. 

     Eu acho que é um bom filme para conhecermos mais sobre o cinema sueco e dos anos 50 de uma forma geral. Para quem gosta de mergulhar em filmes assim, eu indico sem hesitar. Consegui me apaixonar por Monika, consegui rir com os momentos descontraídos e ao mesmo tempo me entregar ao drama apresentado com o fim do ciclo. Espero que vocês tenham a mesma experiência que eu. 

12 Comentários

  1. Olá, eu ainda não conhecia o filme e achei a proposta bem bacana e interessante, apesar de não ser um gênero que eu esteja acostumada acho que vou apostar na dica para conhecer mais. Fiquei bem interessada.

    http://vocedebemcomaleitura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bom explorar novos horizontes, se um dia tiver a oportunidade de assistir, assista! :)

      Excluir
  2. Oi, tudo bem?
    Eu nunca vi um filme sueco, bom pelo menos não que eu me lembre.
    Acho que é uma dica válida e assistiria também.
    Valeu o post.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bergman é um grande cineasta sueco, já apresentou várias obras sensacionais. Se um dia tiver um tempinho, assista. :)

      Excluir
  3. Oi! Tudo bem?

    Não conhecia o filme... E gostei de tudo que escreveu. Diante do que foi exposto, eu também não classificaria o filme como clichê justamente por suas peculiaridades. O que mais me cativou foi a abordagem de relacionamentos reais. Com certeza irei assistir quando eu tiver a oportunidade.

    Beijos,

    Juliana Garcez | Livros e Flores

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo sim e com você? É bem isso, é um filme que parece clichê, mas suas peculiaridades o destacam dos demais. Assista sim!

      Excluir
  4. Oiiii.
    Eu não conhecia o filme, nem nunca tinha ouvido falar nele, mas infelizmente não curti não kkkkkkk
    Acho que não vou gostar, mesmo amando o gênero drama e romance.
    Mas amei sua resenha.
    Vou aguardar a próxima dica kkk
    Beijos linda.
    http://colecoes-literarias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Apesar de ter achado a premissa do filme interessante, pois falar sobre relacionamentos em sua mais pura essência não é nada fácil, não é o tipo de filme que me chamou atenção. Mas para quem curte o gênero, tenho certeza que vai gostar.
    Beijos.

    Li
    Literalizando Sonhos

    ResponderExcluir
  6. Oii!
    Eu não conhecia este filme. Na verdade, acredito que o único filme do cinema sueco que eu conheço é Os Homens Que Não Amavam as Mulheres. Embora a premissa tenha me chamado atenção, não se acho muito positivo esse foco demasiado no relacionamento e nos personagens principais. Só assistindo para saber. Vou procurar conhecê-lo melhor e, se eu asssistir, volto pra te falar o que eu achei.
    Beijos!

    www.palavrasradioativas.com

    ResponderExcluir
  7. Olha eu sinceramente não conhecia esse filme, mas achei a trama dele bastante interessante.
    Mas eu não sei se é muito meu gênero sabe? Mas mesmo assim é sempre bom conhecer, até porque tem filmes que nos surpreende. Já conheci vários que assisti e acabei gostando depois.
    Enfim...Mas eu gostei da maneira como você desenvolveu a sua resenha.
    PARABÉNS =]

    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2015/06/resenha-apenas-um-ano.html

    ResponderExcluir
  8. Olá,
    tudo bom? Infelizmente, quando se trata de filme antigo, esse não é meu gênero. Prefiro algo como Psicose ou A noite dos mortos vivos.
    Beijos,
    http://www.entreleitores.com/

    ResponderExcluir
  9. Oi, tudo bem?
    Não conhecia o filme, e não faz muito meu gênero, mas como gosto de filmes antigos provavelmente assistiria.
    Bjs

    A. Libri

    ResponderExcluir