Já dizia Obama... Boyhood.

Elenco: Ellar Coltrane, Patricia Arquette, Ethan Hawke, Lorelei Linklater, Zoe Graham, Nick Krause, Evie Thompson, Chris Doubek
Direção: Richard Linklater
Gênero: Drama
Duração: 166 min.
Distribuidora: Universal
Classificação: 14 Anos

O filme conta a história de um casal de pais divorciados (Ethan Hawke e Patricia Arquette) que tenta criar seu filho Mason (Ellar Coltrane). A narrativa percorre a vida do menino durante um período de doze anos, da infância à juventude, e analisa sua relação com os pais conforme ele vai amadurecendo. Filmado ao longo de 12 anos, “Boyhood” teve 39 dias de gravação com o mesmo elenco. 

Após ver vários elogios ao filme "Boyhood" decidi assisti-lo para ver se realmente era tudo isso. É o que posso dizer? Estou impressionada.
De uma maneira simples o diretor Richard Linklater (responsável também pela trilogia Before Sunrise) conseguiu novamente introduzir diálogos sinceros e reais a nossa vida. Sem parecer algo muito dramático, Boyhood faz com que nos identifiquemos com Manson (o garoto cujo crescimento vamos acompanhar) e os demais acontecimentos em sua vida, que mesmo que não tenhamos passado por exatamente essas situações, entendemos o que se passa. Como é lidar com a briga entre irmãos, divórcio entre os pais, mudança de cidade e todos esses outros problemas que vem com a  vida suas responsabilidades. E também, como problemas que parecem serem gigantes são logo esquecidos, enquanto pequenas mágoas permanecem em nossa mente e sempre voltam para amargar nosso coração.

Outra coisa que me encantou muito foi o extremo cuidado com a trilha sonora, faixas escolhidas a dedo que além de se encaixarem com o contexto de certa parte da trama marcava exatamente e época em que o filme se encontrava, facilitando assim a nossa localização no tempo cronológico da história que, além da música, apresentava a moda e tecnologias daquele tempo.

Para mim, Boyhood é mais do que um drama qualquer, é uma história sobre o ser humano e o seu desenvolvimento. Como mudamos não só fisicamente mas também em nossas crenças e ideais. E sabe, mudar faz bem! Qual seria a graça se continuássemos a sermos a mesma pessoa que éramos quando tínhamos oito anos? Mesmo que tenhamos que nos distanciar de alguém com quem tínhamos afinidade, é melhor assim do que sermos sufocados por personalidades que não nos agradam ou falsificar e reprimir quem realmente somos. Terminar o colegial, entrar na faculdade, tudo isso altera nossa perspectiva sobre o mundo, e por que continuar a ver sempre o mesmo ponto de vista, se há várias outras perspectivas para avaliar? Deixe-se levar, aproveite o momento e deixe o momento te aproveitar, life is too short to see the things in one way.


Bem, isso foi o que eu consegui aprender com Boyhood, recomendo o filmes a todos, e se após assistirem quiserem compartilhar a opinião de vocês comentem aqui ou me chamem no Twitter (@wantbeitall, para quem quiser haha).





Nenhum comentário