Dias Perfeitos, de Raphael Montes


Eu tive conhecimento do trabalho de Raphael Montes através do booktube. Vendo resenhas e pesquisando sobre os livros dele, fiquei muito interessada porque são raros os autores nacionais que escrevem ficção a ganharem os holofotes. E o menino ganhou e muitos holofotes, tendo hoje seus romances adaptados a peças de teatro e publicados em vários países pelo mundo, até na Polônia! 


Então surgiu a oportunidade de conhecer de verdade o Raphael. Ele esteve na Feira do Livro em Joinville neste ano e foi lá que além de me interessar ainda mais por suas obras descobri que o cara é incrível, além de muito atencioso com seus leitores. E foi lá também que adquiri meu exemplar de “Dias Perfeitos”. 


Já havia feito aqui no blog uma resenha sobre O Vilarejo, um livro de contos de terror do autor. Porém, a experiência de um romance é totalmente diferente tanto para o escritor quanto para o leitor, claro.


A história é narrada em terceira pessoa e me proporcionou um sentimento de indignação em vários momentos. Mesmo sabendo desde a sinopse como é a personalidade de Téo e ver logo no início da história o quão indiferente ele é aos sentimentos humanos, me peguei em vários momentos o chamando de maluco com muita raiva, de tal forma que se ele fosse um ser humano real e eu o visse na minha frente teria vontade de dar um tapa no rosto dele! 


Sentia-se um monstro. Não gostava de ninguém, não nutria nenhum afeto para sentir saudades: simplesmente vivia. Pessoas apareciam e ele era obrigado a conviver com elas. Pior: era obrigado a gostar delas, mostrar afeto. Não importava sua indiferença desde que a encenação parecesse legítima, o que tornava tudo mais fácil. (P. 12)


Téo encontra Clarice em uma festa, os dois trocam algumas palavras e Clarice o beija. Não porque estava apaixonada, mas porque isso é o tipo de coisa que ela faz. Ela é uma moça segura de si, espontânea e um pouco impulsiva. A partir disso, Téo fica obcecado, a ponto de perseguir e sequestrar a moça com o intuito de se conhecerem melhor e fazê-la se apaixonar por ele. Nada creepy, não é? No início, a impressão que se tem é de que Téo não faz mal por querer, que as coisas vão acontecendo e uma ação leva a outra… Porém, quando você já o conhece bem, você percebe que nenhuma de suas ações são impensadas. Apenas não é de se esperar que ele chegue tão longe quanto chegou…

O garoto cursa medicina e por isso possui conhecimentos e acesso a substâncias que “facilitam” suas ações. Téo também é extremamente manipulador, e por mais inteligente que Clarice seja, em determinado momento fica difícil mesmo para ela distinguir o que é realidade do que é manipulação.


Téo continuava a desprezar a raça humana, mas ao menos agora era um desprezo desinteressado, quase piedoso. Finalmente, sentia amor. (P. 99)

A única razão de eu não ter dado 5 estrelas para esse livro é que fiquei bastante confusa com o final, e mesmo agora, passado já algum tempo da leitura, não consigo definir se essa confusão é positiva ou negativa. Ainda assim, recomendo a leitura deste livro a todos que gostam de suspense e romance policial e a qualquer um que queira conferir por si próprio a diversidade que temos em nossa literatura brasileira.



ISBN-10: 8535924019
Ano: 2014
Páginas: 280
Idioma: Português
Editora: Companhia das Letras
Gênero: Ficção, literatura brasileira, suspense
Nota: 4,5/5

6 comentários

  1. Boa noite!
    Eu adoro romance policial! Então fiquei bem interessada na leitura. Eu li apenas um livro desse autor, mas já gostei bastante da escrita do Raphael, então mais um ponto que me faz querer ler essa obra. Estou com Suicidas na estante dele, e pretendo ler em breve.
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  2. Eu sou louca pra ler qualquer coisa do Raphael, mas tenho que confessar que morro de medo. Sobre a sua confusão do final, já ficarei esperta pra ver se isso acontecerá comigo quando tiver a oportunidade de ler este livro.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Oiee Carolina ^^
    Esse livro é bem macabro, né? Apesar de eu ter gostado do desenvolvimento da história e tudo o mais, foi o livro do autor que eu menos gostei, e o final também me deixou nessa confusão. Eu não sei se gostei da maneira como as coisas acabaram, mas sei que queria que mais coisas tivessem acontecido antes que o livro acabasse :/
    MilkMilks ♥
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi, tudo bem?
    Também vi muitas resenhas e comentários positivos sobre os livros do Raphael Montes, mas confesso que nunca tive curiosidade. Não gosto de livros de terror e nenhum dos livros dele que eu vi até hoje despertou minha curiosidade.
    De qualquer forma, fico feliz que você tenha gostado da leitura, apesar do final ter sido um pouco confuso.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Olá!

    Então, eu ainda não tinha ouvido falar dessa obra e infelizmente a premissa dele não me atraiu, talvez seja porque não éno meu gênero de leitura de costume. Mas admito que fiquei curiosa sobre o tal final, haha. Enfim, eu amei a resenha, mas irei deixar a dica passar no momento.

    Um beijo ❤️

    ResponderExcluir