Pegando fogo, de Abbi Glines


Pegando Fogo é o último livro da série Rosemary Beach, da autora Abbi Glines. Recebi o exemplar em parceria com a Editora Arqueiro e como não tinha lido nada da autora até então, decidi embarcar na leitura. Mas antes de iniciar, pesquisei para entender a história, visto que não li os volumes anteriores. Não é muito certo começar uma série do último volume, mas aconteceu comigo.

Nan Dillon, a bad girl de Rosemary Beach, é uma garota imatura e egoísta que não tem outra preocupação na vida a não ser manter o corpinho perfeito. Só que Nan está longe de ser feliz: nunca teve o amor dos pais, o irmão adorado não tem mais tempo para ela, e Grant, o único homem de quem gostou de verdade, resolveu trocá-la pela meia-irmã dela. Então, quando Major Colt a convida para sair, ela não pensa duas vezes. Apesar de saber que esse texano charmoso e de fala mansa não quer nada sério, ficar com ele é melhor do que estar com as colegas fúteis ou passar as noites sozinha vendo televisão. Mas logo Nan fica farta do comportamento descompromissado de Major e, depois que ele a deixa plantada em casa mais uma vez, decide ir a Las Vegas para um fim de semana sem regras e sem limites. Lá, conhece Gannon, um empresário sedutor e perigoso que sempre diz exatamente o que ela quer ouvir. Quando Major vai atrás dela implorar por uma segunda chance e Gannon mostra que não é tão perfeito quanto ela pensava, Nan tem que decidir a quem entregar seu coração. O que ela não percebe é que os dois têm uma estratégia de longo prazo para ela - e já estão várias jogadas à sua frente.

Apesar dessa série ter uma fan base enorme, não entendi o motivo de tanta gente simplesmente amar essa história. Não posso opinar sobre o que aconteceu anteriormente na série, mas posso chegar a conclusões bem plausíveis só de ler o último volume: fraco, raso, superficial, fútil e mal escrito. Sabe aqueles autores que possuem preguiça de desenvolver seus personagens com medo de que seu público tenha preguiça de ler uma obra maior e mais complexa? Foi exatamente isso que eu senti ao ler Pegando Fogo.

Veja bem, eu adoro romances eróticos, adoro romances bem escritos, não me importo com clichês, desde que a história seja bem montada, escrita e desenvolvida. O que vi nesse livro foi mais uma amostra da banalidade da literatura atualmente. Aqui, o romance não funciona, é sem graça e previsível. Não acho que uma escrita para ser envolvente, tem que ser fraca, muito pelo contrário, se envolver é justamente, mesmo com a escrita densa e boa, o leitor se prender na história, comprar a briga dos personagens. 

Além disso, a história é confusa, a protagonista possui um conflito que não é bem explicado e, - particularmente -, acho que nem a autora sabia o que estava escrevendo. Apesar do livro ser curto e eu ter lido rapidamente, foi enfadonho ter que aguentar uma protagonista tão "vadia" e mesquinha como essa. 

Não sei se tenho pontos positivos para dar a essa obra, não lerei provavelmente a série toda. Não julgo quem gosta, afinal, cada um tem um gosto literário (e isso é ótimo), mas comecei a ler a autora com o pé esquerdo e não acho que nenhuma obra dela vai me salvar da enorme decepção sofrida. A desconstrução da personagem tinha tudo para ser feita da melhor forma, abordando o tema familiar e mostrando como a desestrutura de uma família pode moldar futuros, mas não tivemos progressos e o que era importante abordar, foi deixado de lado. 

Em suma, Pegando fogo é mais um livro superficial de romance que temos no mercado. Não acrescenta nada, mesmo trazendo a desconstrução de uma personagem, falando sobre famílias desestruturadas e suas consequências (o que faltou o desenvolvimento dessa história). É apenas mais um e de mais um não quero mais nada, não é mesmo?

Um comentário

  1. Quem leu a série entende como a Nan é uma peste, em quase todos os livros esse ser aparece aprontando alguma coisa. Ela é de fato egoísta e mesquinha, mas leia "Paixão sem Limites", aí vai ver que vale a pena ler Abbi Glines e que a Nan é o que é desde o ínicio, uma patricinha fútil e mimada...nem li esse Pegando Fogo, Nan não é uma personagem que eu goste.

    ResponderExcluir