ISBN-10: 8595170045
Título: Resistência
Autora: Affinity Konar
Ano: 2017
Páginas: 320
Idioma: português
Editora: Fábrica 231
Livro cedido em parceria com a editora.
Auschwitz, 1944. As gêmeas Pearl e Stasha têm 12 anos quando desembarcam no campo de concentração nazista na Polônia. à medida que conhecem o horror e têm suas identidades fraturadas pela dor e sofrimento, tentam confortar uma à outra e criam códigos e jogos para se proteger e recuperar parte da infância deixada para trás. Mas quando Pearl desaparece sem deixar pistas, Stasha se recusa a acreditar que a irmã esteja morta e embarca numa jornada desesperada em busca de justiça, paz e de si mesma. Livro notável pelo The New York Times; Livro do Ano pela Amazon e pela Publishers Weekly; indicação de leitura dos principais veículos de imprensa norte-americanos, Resistência narra, com uma voz poderosa e única, a trajetória de duas irmãs lutando pela sobrevivência em um dos períodos mais devastadores da história contemporânea e mostra que há beleza e esperança até diante do caos.
Classificação: 4/5

Resistência é um livro que mexeu muito com a minha mente enquanto o lia. Foi uma leitura sensível, tocante e perturbadora de um jeito bem peculiar. Um fato que contribuiu para que a leitura tenha sido bem intensa, é justamente o de saber que os personagens eram reais e que a situação contada, foi bem, mas bem verdadeira. Acredito que esse toque de realidade tenha contribuído para a experiência incrível que eu tive. E, em seu romance de estreia, Affinity conseguiu levar o leitor para um espaço entre a dor e a delicadeza.

O livro é narrado em 1ª pessoa e alterna o ponto de vista entre as duas irmãs. Esse estilo de narrativa nos agrega muito em relação ao entendimento dos sentimentos dos personagens, principalmente quando eles são tão reais. A partir disso, consegui mentalizar e enxergar o que elas sentiam e ter a percepção de toda a crueldade que estava envolta das duas personagens. 

"Como um pássaro, ela se debruçou sobre aquele ninho e cantarolou para o menino, que pareceu ter paz". Pág. 238 -

Ler livros com um tema tão forte quanto campos de concentração e 2ª guerra mundial, é sempre um desafio, pois a temática mexe bastante comigo. E com “Resistência” não foi diferente. A história atinge o mais íntimo do ser humano e é capaz de nos causar um revolta e uma empatia muito grande por todas as pessoas e famílias que sofreram com o nazismo. Não tem como não refletir e não se emocionar com esse livro.

A escrita da autora é completamente envolvente, e, acredito que se deva pela escolha de narrativa. A autora conseguiu trazer uma história que é crua, fria e cruel, mas que foi transmitida de uma forma sensível até mesmo inocente, visto a idade das personagens. E nada mais perturbador do que ver crueldade através dos olhos da inocência.

"Em meu rosa fetal, tive de encarar essa verdade: sem ela eu seria apenas um pedaço, uma coisa sem valor algum, um ser humano incapaz de amar". Pág. 9 - Stasha - Capítulo 1. 

Toda a construção da história foi feita de uma maneira muito linear. Gostei muito da maneira como a autora abordou a história e os caminhos que ela percorreu. A história é rica em detalhes e isso se torna até mesmo um incomodo, visto sua temática. Houve momentos em que eu pausei a leitura para respirar, pois o ritmo de informações, sentimentos e angústias que a autora colocava, me deixavam bem aflita.

Em suma, Resistência foi um livro maravilhosamente dolorido de ler. A experiência de leitura foi incrível, mas saí com um gosto amargo devido a história densa que me foi apresentada. No entanto, é uma experiência de leitura muito válida para qualquer pessoa, de qualquer idade. A diagramação do livro está excelente. Parabéns para o Grupo Editorial Rocco pelo trabalho maravilhoso que fez com essa obra. Portanto, leia Resistência, porque valerá muito a pena. E se você já leu o livro, deixa nos comentários o que achou, ok?



SOBRE A AUTORA:
Affinity Konar foi criada na Califórnia e é Mestre em Artes e Ficção pela Columbia University. Ela já trabalhou como tutora, copidesque e editora de livros educacionais infantis. Ela vive em Los Angeles com seu cachorro, Linus. Resistência é seu primeiro romance.

23 Comentários

  1. Oi Anelise,
    Nossa com essa capa não esperava nada do que esse livro aborda. Confesso que passei a o olho antes por ela e não me chamou nem atenção para saber do que se trata.
    Achei o enredo maravilhoso e aborda um assunto sobre o qual gosto muito de ler, com certeza essa intensidade que você destacou me fará chorar muito, pois além de ser um livro sobre a 2ª guerra, ainda traz essa perspectiva pelo ponto de vista de crianças. O que com certeza faz o leitor se compadecer mais e mais pelas personagens.
    Com certeza colo esse livro na minha lista de futuras leituras.

    Bjs,
    Garotas de Papel

    ResponderExcluir
  2. Olá,

    Eu estou acompanhando o lançamento dessa obra, e cada resenha que leio sobre a mesma a minha vontade de fazer a leitura só aumenta. O assunto que ela aborda e o cenário que é passado chama muito a minha atenção, a premissa é muito instigante, contribuindo com a minha ansiedade em conhecer a história. O livro já está na minha lista de desejados e sua resenha me animou bastante, adorei! ♥

    → desencaixados.com

    ResponderExcluir
  3. Eu vi esse lançamento e quase solicitei por causa do tema abordada, mas acabei não solicitando e lendo sua resenha agora tô bem arrependida, viu?
    Esse assunto sempre me agrada, e também costuma mexer comigo, ainda mais sendo mostrado por uma visão inocente.
    Espero poder conferir em breve!

    Virando Amor

    ResponderExcluir
  4. Eu gosto muito d elivros com este pano de fundo de guerra e me espanta que com tantos livros com este tema, ainda existam histórias que nos ganham na emoção, como este aqui te ganhou. Dica anotadissima e espero conferir o mais rápido possível.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Oi, tudo bem?
    Gosto muito de livros com essa temática e fiquei encantada com a resenha, nunca tinha ouvido falar desse livro mas amei conhecê-lo, desde que li O diário de Anne Frank, sou apaixonada por livros que se passam na 2 guerra mundial, justamente por ser uma leitura real e sensível, já super anotei a dica, beijos.♥

    ResponderExcluir
  6. Oi, Ane

    Eu não curto livros que abordem guerras, até hoje não li A Menina Que Roubava Livros exatamente por esse motivo. Não duvido que seja uma história muito emocionante e que mexe com o leitor, mas definitivamente enredos assim não me chamam a atenção.
    Que bom que você aproveitou a leitura. Eu acho a capa linda e consegui um marcador na última vez que fui na livraria.

    Beijão

    ResponderExcluir
  7. Olá!! :)

    Eu não conhecia este livro mas ainda abem que apreciaste fazer esta leitura... :) Enfim, a capa não me agradou nada.. hehe

    Bem, acho ótimo que tenhas gostado da forma como a historia e abordada, so e pena que tenha sido densa ao ponto de te deixar tao "presa"...

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Então, a principio eu tinha até me interessado pela história, por causa da questão de trazer os personagens e fatos da realidade, mas eu não sou muito fã de livros que falam sobre fatos históricos, porque eu fico facilmente entediada. Estou realmente em duvida se leria ou não esse livro. Fiquei curiosa por causa dos personagens, vai que eu goste? Vou colocar o livro na minha lista e tentar a leitura.
    Beijos,
    Nay
    Traveling Between Pages

    ResponderExcluir
  9. Olá Ane,
    Sou viciada em livros sobre a SGM e adorei saber que esse é o tema desse livro. Gosto bastante de obras lineares e que seguem um padrão de acontecimentos. Também acho muito legal obras dolorosas de se ler, principalmente, aquelas que tocam nosso coração.
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Oii Anelise, tudo bem? Adoreei sua resenha (e o vídeo ficou ótimo <3), estava mesmo querendo saber mais sobre Resistência, pois fiquei mega curiosa quando vi essa capa. Entendo bem isso de ler um livro na hora "errada", e sentir que se tivesse lido em outro momento poderia ter aproveitado mais. Já aconteceu várias vezes comigo. De qualquer forma, quero muito ler e já coloquei nos desejados. Espero gostar!
    Beijos!!

    ResponderExcluir
  11. Oi, Anelise!
    Estou acompanhando as resenhas que saem desse livro e cada vez fico com ainda mais vontade de ler essa história logo. A capa e premissa são realmente muito chamativas para mim e a Segunda Guerra sempre é um tema muito interessande de se explorar e ler.
    Bjus!

    ResponderExcluir
  12. Olá, tudo bem?
    Tenho visto muitas pessoas comentando sobre esse livro e parece ser mesmo uma ótima aposta da editora. No entanto, ainda não senti vontade de ler.
    Deve ser realmente uma leitura muito dolorosa e, mesmo sendo escrito de uma maneira sensível e tocante, não é algo que eu queira ler agora. No momento, estou procurando livros mais alegres ou que abordem temas mais leves.
    De qualquer forma, adorei sua resenha e vou deixar a dica anotada para um outro momento.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  13. Oi.

    Olhando a capa eu nunca imaginava que seria abordado este assunto. Tinha me interessado pelo livro porque gostei da capa, mas até agora não havia lido a resenha. Agora quero mais do que nunca ler este livro. Já vou providenciar para comprar quando tiver uma oportunidade.

    ResponderExcluir
  14. Oi Ane,
    o último livro que li da era nazista foi a menina que roubava livros e confesso que nunca consegui me recuperar por completo. Lendo a sinopse desse livro já me sinto arrasada e posteriormente sua resenha só veio a confirmar o quanto não estou preparada para desfrutar dessa leitura, vou continuar evitando obras com uma carga emocional tão densa como os dessa época simplesmente porque não consigo ler a história uma dor tão real com a que aquele povo passou. De qualquer forma anotei o nome do livro caso brote um resquício de coragem.

    Beijos!
    Delmara Silva

    ResponderExcluir
  15. Estou lendo e concordo contigo, que experiencia maravilhosa e ao mesmo tempo tão dolorosa! Parei a leitura inumeras vezes para poder respirar, tudo é muito delicado e unico, mas aceita o nosso peito sem dó. Definitivamente uma das melhores leituras do ano.

    ResponderExcluir
  16. Oie! Tudo bem?

    Guria vi bastante desse livro no Instagram, mas não sabia exatamente sobre o que se tratava até ler sua resenha e ja adicionei ele na minha lista de desejados do Skoob, pois é o tipo de história que amo ler, e acredito que irei amar esse livro!

    Bjss

    ResponderExcluir
  17. Nossa, eu imagino que tenha sido realmente difícil terminar essa leitura.
    Já tinha visto a sinopse e a capa antes (linda demais, aliás), e já sabia que seria um livro difícil.
    Não sei se conseguiria ler, por conta da temática, mas imagino que, ao terminar, seja realmente compensador. Parece uma ótima obra :)


    ourbravenewblog.weebly.com

    ResponderExcluir
  18. Que capa linda!!
    Realmente, o livro pareceu dolorosamente envolvente! Nos faz pensar em muitas coisas e sentir, e é por esse motivo que anotarei a dica, mas não sei se o lerei, pois costumo evitar livros aos quais sei que vou chorar (muito), ainda mais sendo tão verossímil a acontecimentos!
    Se algum dia eu criar coragem, o lerei!!
    Beijos

    ResponderExcluir
  19. Hey!

    u já conhecia o livro, apenas ainda não tive a oportunidade de lê-lo. Todos os livros que tratam o holocausto e o nazismo, bem como as histórias daqueles que mais sofreram nele costumam me atrair muito, é uma parte da história que me intriga. Não sei se você já leu, mas o livro A bibliotecária de Auschwitz também trás uma história real bem impactante, super vale apena ler.

    Bjs.

    ResponderExcluir
  20. Olá,
    Ainda não conhecia o livro e nem a autora. Mas quando temos guerra como base acabam sendo enredos que considero fortes e acabo não me apegando a leitura, estou num momento mais leve da vida, então só consigo gostar de livros assim.
    Beijos
    www.estilo-gisele.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  21. Olá, tudo bom?
    A cada nova resenha que leio sobre esse livro, minha vontade de lê-lo aumenta. Gosto de ler histórias que se passam na segunda guerra e realmente, quando são narradas em primeira pessoa, elas conseguem nos atingir mais como leitores, assim como nos tocar. Quero muito conhecer essa história impactante e poder conhecer o sentimento da personagem através de sua narrativa. Sugestão anotada!!

    Beijos

    ResponderExcluir
  22. Hey you!!
    Eu não tive a oportunidade ainda de ler essa obra, mas me parece tão triste. O Menino do Pijama Listrado mexeu bastante comigo não sei se embarcaria em outra premissa nazista. Sua resenha ficou ótima, no entanto. ;)
    Cantinho da Bruna

    ResponderExcluir
  23. Agora vemos como é tão real isso de não julgar o livro pela capa,eu nunca olharia para ele pois apostaria que ele seria um romance que é algo que eu não leio muito atualmente e em compensação eu amo livros que mostra a realidade nos campos de concentração e sempre me emociono, gostei bastante da premissa do livro e com certeza irei coloca-lo na minha lista.

    ResponderExcluir