ISBN-10: 8501105732
Título: O Lado Feio do Amor
Autora: Colleen Hoover
Ano: 2015
Páginas: 336
Idioma: Português
Editora: Galera Record
Gênero: Jovem Adulto, Romance, Literatura Estrangeira

Sinopse: Quando Tate Collins se muda para o apartamento de seu irmão, Corbin, a fim de se dedicar ao mestrado em enfermagem, não imaginava conhecer o lado feio do amor. Um relacionamento onde companheirismo e cumplicidade não são prioridades. E o sexo parece ser o único objetivo. Mas Miles Archer, piloto de avião, vizinho e melhor amigo de Corbin, sabe ser persuasivo... apesar da armadura emocional que usa para esconder um passado de dor.O que Miles e Tate sentem não é amor à primeira vista, mas uma atração incontrolável. Em pouco tempo não conseguem mais resistir e se entregam ao desejo. O rapaz impõe duas regras: sem perguntas sobre o passado e sem esperanças para o futuro. Será um relacionamento casual. Eles têm a sintonia perfeita. Tate prometeu não se apaixonar. Mas vai descobrir que nenhuma regra é capaz de controlar o amor e o desejo.

Classificação: 4,5/5

O Lado Feio do Amor é o sexto livro da Colleen Hoover que tive a oportunidade de ler e, sou um tanto suspeita para falar a respeito de suas obras, desde que sou uma grande fã da mesma.
Nesse presenciamos o desenvolvimento de um romance completamente fora dos padrões entre Tate Collins e Miles Archer. Tate Collins é uma jovem de 23 anos, e completamente centrada no futuro, está iniciando seu mestrado, assim devido as circunstâncias teve que aceitar morar por um tempo com o seu irmão Corbin, em São Francisco. A convivência entre ambos é ótima, porém Corbin sabe ser sufocante quando deseja, principalmente tratando-se dos relacionamentos amorosos de sua irmã.

Logo de início Tate encontra dificuldades. Ao chegar na porta do apartamento, ela se deparar com um homem complemente embriagado jogado ao chão. Mas isso não é tudo, como se não bastasse, ele está numa posição que a impede de entrar em seu apartamento. Desesperada ela liga ao irmão, ele pede a ela para abriga-lo, porque o homem não é um completo estranho e, sim um amigo dele.

Vocês devem estar pensando que isso foi o suficiente para que a jovem mantivesse uma má impressão a respeito do rapaz, porém não é o que acontece. No dia seguinte, esse não parece o mesmo que estava desacordado em sua porta na noite anterior. Tate descobre que, na verdade, Miles é um grande piloto, assim como o seu irmão e, que além disso, é um homem extremamente misterioso e atraente.

Uma relação nasce entre eles, mas não exatamente uma relação afetiva. Desde o início, Miles deixou bem claro que a Tate que não buscava um relacionamento amoroso, que queria algo casual, apenas sexo. Uma regra jamais deveria ser quebrada: que não o perguntasse a respeito do passado e não esperasse dele um futuro.

Tate passa grande parte da história tentando se convencer que sexo é mais do que o suficiente para ela. Que assim como Miles, suas intenções não gritam por um relacionamento amoroso. É de cortar o coração a ver enganando a si mesma, se auto sabotando de tal maneira. Em muitos momentos, cheguei a odiar Miles por suas atitudes, porém é mais do que nítido que ele não é o vilão, o tempo inteiro alertou Tate sobre suas reais intenções. A escolha de permanecer nisso era inteiramente da jovem.

Um grande diferencial do livro é o fato da CoHo ter intercalado os capítulos entre Tate e acontecimentos de Miles há seis anos atrás. Dessa forma, nós leitores podemos ter uma visão ampla e aos poucos compreender as atitudes de Miles, que não são nada mais do que um reflexo de uma grande ferida que custa a cicatrizar. Senti vontade de o acolher e também me arrependi por todas as vezes que o interpretei mal. Em suma, o livro me fez refletir sobre como muitas vezes julgamos alguém sem saber como a pessoa está por dentro, por quais traumas teve que passar e qual é a bagagem que carrega consigo.

A autora explora muito o lado sexual dos personagens, mas não é surpreendente desde que o relacionamento estabelecido entre ambos é restritamente voltado ao sexo. Porém, não faz isso de forma maçante, todas as cenas têm um contexto, não é nada completamente avulso e é tudo bastante intenso.

Apesar de não ter se tornado o meu livro preferido da autora – esse lugarzinho sempre será de Um Caso Perdido –, eu consegui me envolver de corpo inteiro na história. Finalizei a leitura com lágrimas nos olhos e sentindo meu coração quentinho. Sem dúvidas, esse foi um dos finais mais emocionantes que a autora proporcionou a nós leitores. Eu o indico para quem deseja ter diversos momentos de reflexão, que goste de livros que tragam os dois lados da moeda e que nos proporcionam reviravoltas surpreendentes.

Deixe um comentário