ENTREVISTA COM A AUTORA DE A IMPROVÁVEL ANNELISE, TATYANA AZEV

Olá queridos leitores! 
Vocês sabem que eu adoro entrevistar autores, né non? Eu sempre fico interessada em saber sobre seus processos de escrita, sobre suas inspirações, sobre suas vidas.. E no post de hoje, nós temos a entrevista com uma autora muito querida, a Tatyana Azev, do livro A Improvável Annelise! Vem conferir que tá muito legal. ❤


1. Para te conhecer melhor... Tatyana, me conte mais sobre você.
Eu sou Tatyana com Y (sempre tenho que falar isso rsrsrs), jornalista e canceriana. Como já morei em vários lugares do Brasil, fica difícil dizer de onde sou. Atualmente, respondo que moro em Brasília e vim de Floripa. Adoro imaginar mundos possíveis, nesse e em outros planetas, e criar personagens na minha cabeça. Escrever começou por acaso e hoje é uma necessidade.

2. Sempre fico muito curiosa para entender como os autores se inspiram para escrever fantasias. Da onde veio sua inspiração para escrever a Improvável Annelise?
Para falar a verdade, acho que nem eu sei ao certo como a história surgiu! Foi em algum dia dos meus primeiros meses em Brasília. Começou com uma cena, um encontro incômodo da Annelise com o Oliver. Essa cena foi para o papel e eu quis descobrir quem eram eles dois. Aos poucos, cenários e personagens foram aparecendo. Mas aí a rotina tomou meu tempo e o primeiro rascunho de metade do livro foi para a gaveta e só saiu de lá dois anos depois. Quando olhei para tudo aquilo de novo, soube exatamente o que ia acontecer e sobre o que se tratava a história.

3. Qual foi a maior dificuldade que você encontrou para lançar seu livro? Você sente que o mercado editorial independente vem crescendo cada vez mais visto que as editoras pouco apostam em fantasias nacionais?
Acho que a maior dificuldade é fazer todo o processo de uma editora sozinha: encontrar profissionais para revisão, capa, impressão. Meu livro estava pronto em fevereiro e só consegui lançá-lo fisicamente em setembro. Para quem gosta de escrever, esse trabalho é meio desgastante. rsrs
Acho que o mercado editorial independente está crescendo porque temos mais oportunidades de publicação agora (a Amazon é um bom exemplo). Comecei com meu livro em ebook. Quando vi que as pessoas se interessaram, fui atrás de lançar o livro físico. Sobre as editoras, não vivemos uma fase econômica favorável, e isso deve ser levado em conta. Mesmo assim, aos poucos, nomes nacionais estão ganhado espaço. Muito mais do que há uma década, por exemplo. É um processo lento de valorização do nacional, mas acho que estamos no caminho certo.

4. Quem é o seu personagem favorito do livro? Foi fácil ou difícil escreve-lo?
Nossa, difícil é dizer quem é o favorito!!
A dupla Jake e Emma foi a mais difícil, talvez os dois sejam meus queridinhos exatamente por isso. Na primeira versão da história, eu foquei muito mais na Anne, na Elissa e no Oliver. Quando reli, percebi que faltava descobrir quem eram os primos, qual era a história deles. Aí eles também viraram meus melhores amigos.

5. Eu adorei a história, principalmente da representatividade LGBT, você acha que os autores ainda possuem medo de escrever personagens homossexuais em fantasias (e no geral)?
Não sei se é medo. Existem padrões que vão sendo repetidos e nós nos acostumamos com eles. Felizmente, já temos exemplos de representatividade e esses padrões estão mudando.

6. Normalmente, quando preciso de inspiração, acabo ficando reclusa e consumindo muita música. Como funciona seu processo produtivo e criativo?
Eu também fico bem reclusa! Adoro encontrar músicas para as cenas e imaginar os acontecimentos na minha cabeça antes de escrever. É como um filme sendo construído aos poucos. Assisto séries e vejo filmes do gênero. Faço muita pesquisa. Aí, quando tenho o roteiro e sei quem são os personagens, começo a escrever.

​7.  E para finalizar, Tatyana, há planos para um sequência de A Improvável Annelise? rs.
Então... Eu não fiz o livro pensando em uma sequência. É um livro único. Mas é claro que não me despedi da Anne quando escrevi o FIM. Muita coisa acontece depois rsrs

12 comentários

  1. Oi, Analise!
    Que capa lindona é essa? <3 In love com ela.
    Quando escrevo costumo escutar música no fone de ouvido. Assim fico mais isolada, pois aqui em casa não tem como ficar sozinha. rsrs..
    A autora parece uma fofa. Só não sei se eu leria o livro, pois não curto muito livros de fantasia. Quem sabe um dia eu dê uma chance?
    Beijão!
    http://www.lagarota.com.br/
    http://www.asmeninasqueleemlivros.com/

    ResponderExcluir
  2. Olá
    Nossa, acho que era disse que estava precisando para me familiarizar com essa autora kk, uma entrevista. Esse último mês li diversas resenhas sobre a obra que já está entre os meus desejados e agora lendo a entrevista só vi que a autora e muito amor. Adorei as respostas da mesma, e essa última resposta dela me deixou bem curiosos. Espero que tenha mais conteúdo sobre esse livro. Até mais ver
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Olá,

    Já ouvi falar na obra, no entanto nunca li, então não tenho o que dizer sobre a obra.
    Adoro post de entrevistas, pois é tão legal saber o que inspira um (a) escritor (a), além disso, o fato de conhecermos um pouquinho da sua intimidade pode haver um semelhança e assim incentivar a pessoa a ler determinada obra. Parabéns pelo post!

    Beijos,
    entreoculoselivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Oiee Anelise ^^
    Primeiramente: essa capa está simplesmente MARAVILHOSA! Acho que ainda não conhecia o livro, mas, depois do que você e a autora falaram a respeito da obra (eu AMO livros com temática LGBT, não me pergunte por que...haha'), fiquei mega curiosa. Até já salvei a página do livro no skoob aqui...haha' e olha que eu nem gosto muito de fantasia *-* vamos torcer para que essa "muita coisa que acontece depois" se torne uma continuação ♥
    MilkMilks ♥
    Milkshake de Palavras

    ResponderExcluir
  5. Olá! É sempre bom saber mais sobre os autores. Ainda não li o livro, mas pretendo. Acho essa capa divina. Que tem Y no nome sempre tem que falar mesmo. Haha' Eu também fico curiosa em saber de onde vem as inspirações. Que bom que apensar de ter demorado um pouco - dois anos - a autora tirou a história da gaveta e lhe deu vida. Que bom que agora o mercado editorial independente está crescendo... Autores sempre gosta de deixar o leitor curioso se vai ou não ter continuação. Haha' Adorei conhecer um pouco mais da autora, desejo sucesso. Beijos'

    ResponderExcluir
  6. Oi, Anne! <3

    Desde que você postou a resenha sobre o livro dessa autora me peguei extremamente interessada por ele. Foi muito bom agora conhecer um pouquinho mais a respeito da autora.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Gostei de poder conhecer mais o outro lado da moeda, ou seja, dos escritores nesse caso. Também tinha essa curiosidade de saber como os personagens são desenvolvidos e tal. Ahhh fiquei curiosa para saber mais sobre essa representação LGBT no livro, realmente é difícil ter e em fantasia então? Nem se fala. E concordo com autora quando diz que é mais um padrão do que medo. Enfim, fico feliz que apesar de todo o trabalho ela esteja, aos poucos, conseguindo o seu espaço.

    Beijos
    Vento Literário / No Facebook / No Twitter

    ResponderExcluir
  8. Já tinha visto esse livro por aí, e além de me apaixonar pela capa, fiquei bastante interessada na trama. Adorei conferir a entrevista com a autora. Eu acho demais essas inspirações que surgem na hora de escrever suas histórias. Nunca tive nada disso, então sei que ser escrito não é pra mim mesmo, prefiro continuar lendo a história dos outros, rs.
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  9. Eu simplesmente estou apaixonada pela capa desse livro...

    A autora parece ser uma pessoa encantadora por suas respostas na entrevista, e muito centrada também. Gostei muito e quero muito ler sobre a Annelise! =D

    Ótima entrevista!

    Abraços!
    www.asmeninasqueleemlivros.com

    ResponderExcluir
  10. Oi, tudo bem?
    Gostei bastante da entrevista, mas é uma pena a autora ser canceriana(não gosto desse signo, haha)
    Lendo a entrevista pude saber da representatividade LGBT e fiquei ainda mais interessado pela obra.

    ResponderExcluir
  11. Olá
    ai que legal a entrevista, eu to apaixonada por essa capa e acabou que estou namorando um livro um tempo por estar curiosa pela leitura, quem sabe eu arrisque em breve

    beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Oi Ane, tudo bem?
    Já ouvi falar muito bem desse livro e da autora, uma pena que eu não tive oportunidade de ler ainda. Mas fiquei bem ansiosa e curiosa com essa entrevista, adorei saber mais da autora e da obra, fantástico! eu também não sabia muito bem do que se tratava o livro, e agora me animei mais.

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir