| RESENHA #61 | O ANO EM QUE EU DISSE SIM, SHONDA RHIMES

 ISBN-13: 9788576849889
 ISBN-10: 8576849887
 Título: O Ano em que eu disse sim
 Autora: Shonda Rhimes
 Ano: 2016
 Páginas: 256
 Idioma: português 
 Editora: Best Seller
 Gênero: não-ficção, auto biográfico, auto-ajuda.
 Livro cedido em parceria com a editora.

Sinopse: Um livro motivador da aclamada e premiada criadora e produtora executiva dos sucessos televisivos Grey’s Anatomy, Private Practice e Scandal, e produtora executiva de How to Get Away with Murder. Você nunca diz sim para nada. Foram essas seis palavras, ditas pela irmã de Shonda durante uma ceia de Ação de Graças, que levaram a autora a repensar a maneira como estava levando sua vida. Apesar da timidez e introversão, Shonda decidiu encarar o desafio de passar um ano dizendo “sim” para as oportunidades que surgiam. Os “sins” iam desde cuidar melhor de sua saúde até aceitar convites para participar de talk shows e discursos em público. Além disso, Shonda deu um difícil passo: dizer sim ao amor próprio e ao seu empoderamento. Em O Ano em que disse sim, Shonda Rhimes relata, com muito bom humor, os detalhes sobre sua vida pessoal, profissional e como mergulhar de cabeça no “Ano do Sim” transformou ambas e oferece ao leitor a motivação necessária para fazer o mesmo em sua vida. 


Quando eu comecei a ler esse livro, já me deparei com um monte de coisa que eu sentia, pensava, idealizava, me frustrava em toda a minha vida. Eu sabia que o livro era de auto-ajuda quando o solicitei para a editora, mas não sabia que eu iria me identificar tanto com a história da Shonda Rhimes.

Shonda é uma produtora, roteirista, mãe, irmã, filha, colega de trabalho, namorada, esposa e ser humano. Ficou famosa ao escrever e produzir séries incríveis como Grey's Anatomy e Scandal e do recente fenômeno, How To Get Away With Murder. Em seu livro, "O Ano em que eu disse Sim'' carregando o subtítulo: como dançar, ficar ao sol e ser a sua própria pessoa, Shonda nos conta sobre a sua vida, sobre como ela estava ficando alheia a tudo de bom que existia e como ela não se permitia ser feliz por completo e porque ela nunca dizia SIM para as coisas.

É sempre muito perigoso ler biografias. Não pelo seu conteúdo, mas pelo apego emocional com a pessoa que está contando aquela história. Agora imagina você ler uma biografia com esse caráter de auto ajuda justamente quando a sua vida pessoal está desmoronando? Foi muito convidativo o jeito que a Shonda me chamou para bater esse papo com ela sobre nossas vidas. Foi reflexivo, comovente, tocante, cativante, esclarecedor, entre outras coisas.
É muito difícil para quem não tem depressão entender algumas coisas. Ser empático com alguém depressivo é muito difícil e normalmente quem tem a doença, não fala sobre o assunto, porque prefere não atrapalhar as pessoas a sua volta. Shonda estava a beira de se esquivar e mandar tudo o que ela conquistou para o espaço. Ela amava inventar as coisas, criar roteiros, criar personagens, e todo o prazer que vinha com aquilo, era puramente momentâneo. Ela sempre preferia ficar em casa a ir em conferências, entrevistas etc e tal. E quando realizava essas tarefas, se sentia exausta e sem entender muito bem o por que daquilo.

Shonda é mãe, irmã e filha, e foi muito interessante conhecer a sua relação com sua família, principalmente sua irmã. A cada diálogo com ela, eu percebia o quão semelhante eu era da Shonda Rhimes e isso é terrivelmente assustador e sabe por que? Porque a gente se enxergar em um problema é muito difícil. Por que a Shonda (e eu) nunca disse SIM para as coisas? Por que sempre houve essa empecilho? Por que ela tinha medo? Do que ela tinha medo?

O Ano em que eu disse sim, é um livro muito delicado e íntimo. Essa resenha foi extremamente difícil de fazer, porque eu não conseguia mensurar e nem por em palavras o quão importante esse livro foi para a minha vida. É um livro particularmente peculiar e extremamente cativante e empático. Não é um livro comum sobre como superar a depressão, é um livro de como superar a você mesmo e seus problemas. Como você se tornar a sua própria pessoa e ser feliz com ela. 

Em suma, O ano em que eu disse sim, foi uma experiência incrível e nada menos que sensacional. Eu me senti extremamente satisfeita com tudo o que eu encontrei. Das palavras da Shonda, da diagramação do livro, do cuidado da editora Best Seller em publicar essa obra... Tudo está excepcionalmente convidativo. E é por isso, que te convido a conhecer mais sobre uma das mulheres mais fortes que conheci: Shonda Rhimes.


24 comentários

  1. Olá
    Biografias estão cheias de apelo emocional, e é ao mesmo tempo perigoso e divertido também, porque a gente sempre acaba se envolvendo demais. Eu já tinha lido outras resenhas sobre esse livro e a sua só confirma que preciso muito fazer essa leitura também. Imagino mesmo que apresente uma trama muito íntima e igualmente incrível. Obrigada pela recomendação!
    Beijos, Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
  2. Oi Anne, biografias não em agradam e tem que trazer um diferencial ou ser uma personalidade realmente interessante para conseguir me fazer ler. Pelo visto essa aqui, tem um algo a mais. O que acho interessante é que ainda é comum as pessoas se perguntarem que em é a Shonda, as vezes até assistir uma de suas criações e nem saberem de quem se trata.
    Acho que esse é um livro que ou você realmente é uma mente aberta para capitar a mensagem, ou está passando por uma situação semelhante ou realmente está no momento propicio para ler.
    Sim, talvez eu leia esse livro, pois por sua resenha sentir que me identificarei com algo nele. Pode não ter o mesmo efeito que teve em você, mas acredito que tirarei algo.

    Bjs,
    Garotas de Papel

    ResponderExcluir
  3. Olá Anne,
    Que premissa bacana. Acho que nunca li nada assim, uma biografia espécie de auto-ajuda. A depressão é uma doença muito ingrata e muitos preferem não compartilhar com medo de magoar os outros.
    Me identifiquei bastante com a obra e acho que tirarei muitos ensinamentos ao ler essa obra. Acho que ele me proporcionará uma viagem para dentro de mim.
    Dica anotadíssima.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  4. Oi Anelise,
    Eu estou extremamente curiosa para ler esse livro justamente por ser fã das séries que a Shonda escreve e saber que ele é biográfico me instiga ainda mais a realizar a leitura. Eu já imaginava que o livro seria tocante, mas não imaginava que teria uma identificação tão grande entre o leitor e a autora. Apesar de não ter o hábito de ler auto-ajuda esse já está na minha lista de leitura. Ótima resenha.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Nossa, eu ainda não conhecia esse livro e o tema abordado por ele me chamou atenção. Vendo a capa e o título eu esperava mais um romance clichê e me surpreendi com o que o livro fala. Eu gostei bastante de saber o quanto ele foi importante para você acho que seria uma leitura bem proveitosa para mim também.

    ResponderExcluir
  6. Acho a população mundial pode se dividir entre os que ama a Shonda e os que não a conhecem.
    Quero demais ler este livro e sua empolgação ao elogiá-lo, só aumentou minha vontade em ler.
    Acho bem pertinente essa abordagem da depressão, testemunhado por alguém de sucesso e talvez esse seja o ponto mais interessante do livro para mim. Obrigado por multiplicar minha ansiedade em conhecer o livro.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Oie, eu já tinha ouvido falar desse livro e desde antes já tinha gostado.
    A premissa é muito boa e eu me indentifico bastante com isso, muitos não entendem sobre a depressão e outros tantos não conversam sobre o assunto, mas eu acredito que deve ser falado pois a cada dia que passa mais pessoas passam por isso.
    Bjokas e adorei a resenha.

    ResponderExcluir
  8. Oi
    Adoro livros que nos transformam e sua resenha revelou a importância dele em sua vida.
    Realmente não é fácil dizer sim. Confesso que quando li o título lembrei da música da Sandy "sim" e entendi mais. Não é fácil passar por tantas coisas e continuar positiva. Gostei muito e quero ler com certeza!
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
  9. Oi Ane, tudo bem?
    Eu amo o trabalho da Shonda Rhimes e sou eternamente apaixonada por Grey's Anatomy e How To Get Away With Murder, são séries que considero incríveis e viciantes. No entanto, não imaginava que ela tinha/tem depressão e que até preferia ficar em casa ao invés de ir para as entrevistas. Minha mãe tinha depressão, então sei como essa doença pode ser cruel para as pessoas à sua volta e principalmente para a vítima. Após ler a sua resenha fiquei bem ansiosa para conhecer um pouco da história dessa mulher tão magnífica. Espero ler em breve.

    Beijos! ♥

    ResponderExcluir
  10. Nunca tinha ouvido falar sobre esse livro e essa escritora antes, acredita? Sua resenha me deixou com vontade e curiosa para ler. Adorei a sinopse, e principalmente, a capa dele! Tão linda <3

    Um beijo, tô te seguindo.
    http://imaturidadeadolescente.tk/

    ResponderExcluir
  11. Oi, tudo bem? Puxa parece ser um livro intenso. Eu não sou muito fã de auto ajuda mas por ser uma biografia o enredo em si acabou me atraindo ainda mais por conta do tema. Eu não tenho depressão mas tenho transtorno de ansiedade e crise de pânico e sei como você se sente ou quando as pessoas não entendem e te rotulam apenas como frescura... :(
    Adorei a dica é pretendo ler o livro em breve.
    BJ

    ResponderExcluir
  12. Olá!
    Eu tenho um carinho muito especial pela Shonda por causa dessas obras primas que ela faz na televisão, e acredito que com o livro não poderia ser diferente. Fiquei sabendo dele enquanto assistia uma entrevista dela no programa The Ellen Degeneres Show, onde ela contou tudo o que passou e o que a motivou a escrever esse livro, e achei sensacional. Não sabia que ele já estava disponível no Brasil. Com certeza irei procurar para ler. Amei sua resenha, acho que conseguiu expressar bem o que entendeu e o que achou da obra.
    Beijos.
    http://arsenaldeideiasblog.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  13. Sou assim como você, me apego emocionalmente quando leio biografias. Depressão é algo muito delicado, e raramente as pessoas que tentam escrever sobre depressão são bem sucedidas; o fato de ser uma pessoa que passou por isso escrever sobre o assunto ajuda bastante. Eu não conheço tanto assim da Shonda mas depois da sua resenha eu fiquei com bastante vontade de ler esse livro porque estou buscando realmente algo mais tocante. Sua resenha tá maravilhosa, sei como é difícil falar de um livro quando achamos ele fantástico <3 beijos!

    ResponderExcluir
  14. Olá!
    Parabéns pela resenha, amei! Não conhecia o livro e fiquei interessada. Gosto de livros de biografias, mas ultimamente não tenho lido nada biográfico. A sinopse não é muito chamativa, por ela não daria uma chance ao livro, mas sua resenha ficou ótima e super convidativa! Dica anotada!
    Bj

    ResponderExcluir
  15. Ultimamente não estou lendo livros de auto-ajuda ou auto-biográfico, salvo raríssimas exceções. Apesar da boa resenha, não é um livro que eu tenha me empolgado em ler.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  16. Só dela ter essa ligação com Grey's Anatomy já me interessei, é uma das minhas séries preferidas. Não tenho depressão, mas tenho uma grande amiga que luta contra essa doença no dia-a-dia,então sei como é difícil é doloroso. O que não quer dizer que eu não tenha esse problema de não dizer sim para muitas coisas, fiquei com vontade de ler.

    ResponderExcluir
  17. Oii, tudo bem?
    Faz pouco tempo que eu comecei a ler livros de não ficção, e ainda não tive a oportunidade de ler nenhuma biografia. Eu gostei muito da ideia do livro e da sua resenha, e só as suas palavras já me fizeram pensar em quantas vezes eu não disse sim. Com certeza irei adquirir o livro.

    ResponderExcluir
  18. Oi!
    Nossa, eu me senti extremamente tocada com a sua resenha. Captei toda sinceridade e veracidade de sentimentos que você quis passar e que provavelmente sentiu durante a leitura. Tá vendo por que livros são tão maravilhosos? Tem a capacidade de mudar completamente a vida da gente. ♥

    Eu não sou muito de ler livros de auto-ajuda, acho que devo ter lido uns 4 a 5 em todo minha vida literária; mas tenho que confessar para você que esse livro me deixou curiosíssima, principalmente por não se tratar apenas de uma auto-ajuda, mas de uma biografia sobre uma mulher que precisou ser muito forte para enfrentar grandes problemas.

    Muito obrigada por dividir conosco essa experiência. Abraço!
    Ingrid Cristina
    Plataforma 9 3/4

    ResponderExcluir
  19. Oi guria,
    Tudo bem? Adorei conhecer esse livro. É incrível como a gente pensa que pessoas bem sucedidas não tem problemas, né. Mas no fim, todos somos seres humanos e passamos por muitas dificuldades.
    É incrível como nos permitirmos fazer as coisas, dizer sim, pode fazer a diferença nas nossas vidas.
    Amei!!
    beijos

    ResponderExcluir
  20. Oi, flor.

    Eu não conhecia o livro, mas gostei muito da premissa da história. Eu não curto muito ler biografias. Sempre achei tedioso e nunca fiquei com vontade de ler uma. Mas agora lendo sua resenha fiquei curiosa com a história de Shonda e gostaria de ler. Fico feliz que vc sentiu fortes emoções com o livro e que a leitura te agradou. Espero ler em breve!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  21. Hey tudo bom?
    Apesar de biografias não em agradarem e tem que trazer um diferencial ou ser uma personalidade realmente interessante para conseguir me fazer ler. talvez eu leia esse livro, pois por sua resenha senti que me identificarei com algo nele. Pode não ter o mesmo efeito que teve em você, mas acredito que tirarei algo.
    Gostei muito da sua resenha.
    Abraços

    ResponderExcluir
  22. Oiii flor,
    então não conhecia o livro e nem a autora, não curto muito ler biografias, aliais acho que nunca li uma. O que me chamou a atenção na sua resenha foi você ter dito que se emocionou bastante com o livro, gostou desse núcleo e se um dia tiver a oportunidade de ler, acredito que para uma pessoa tímida como a Shonda seja difícil passar um ano dizendo sempre sim. É uma coisa a se pensar.
    Abraços

    ResponderExcluir
  23. Oi, tudo bem?
    Eu não conhecia esse livro ainda e devo dizer que chamou muito minha atenção, eu gosto de biografias e essa parece um tanto diferente. Gostei muito da proposta do livro e com certeza darei uma chance a ele logo que tiver uma oportunidade, parece trazer uma ótima mensagem.

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
  24. Nossa depois dessa resenha,quero correr agora para uma livraria!
    Essa é a primeira vez que entrei no seu blog,e já Amei.
    Obrigado por essa resenha tão sensível.
    Depois de ler o livro volto aqui e comento mais!

    ResponderExcluir