Resenha: Entre o agora e o Nunca

Autor (a): J. A. Redmerski
Páginas: 368 páginas
Editora: Suma de Letras
Lançamento: 02/05/2013
Gênero: Romance Americano (New Adult)
Nota: ♥♥♥♥♥
Favorito!
''Camryn Bennett é uma jovem de 20 anos insatisfeita com a própria vida. Ela mora com a mãe e trabalha numa loja. Seu sonho de viajar pelo mundo com uma mochila nas costas parece cada vez mais distante. Ian, seu namorado, morreu num acidente de carro há um ano, fato que a traumatizou. O pai abandonou a família e o irmão mais velho, Cole, está na prisão. A gota d’água é quando seu plano de morar com a melhor amiga, Natalie, vai por água abaixo após o namorado de Nat revelar que está apaixonado por Camryn. Perdida, sem saber o que fazer, Camryn vai para rodoviária e pega o primeiro ônibus interestadual, sem se importar com o destino. Com uma carteira, um celular e uma pequena bolsa com alguns itens indispensáveis, a jovem embarca para o estado de Idaho.O que ela não esperava era conhecer Andrew Parrish, um jovem sedutor e misterioso, a caminho para visitar o pai, que está morrendo de câncer. O personagem é um perfeito bad boy, músico de blues, belo e tatuado. Ele se aproxima da companheira de viagem, primeiro para protegê-la, mas logo uma conexão irresistível se forma entre os dois. Camryn tenta lutar contra o sentimento, já que jurou nunca mais se apaixonar desde a morte de Ian. Andrew também tenta resistir, motivado pelos próprios segredos. ''

Logo de cara, já me deparei com a identificação entre mim e a personagem principal, Camyrin. Os conflitos internos da personagem são muito parecidos com os meus, me fazendo ficar mais entretida com a história e mais empolgada para saber o final.  Eu só queria ler e ler, fui devorando as páginas e quando vi, já estava totalmente inserida e absorta pela história da Cam. 
Quem nunca teve vontade de largar tudo e ir buscar a liberdade tão sonhada? Se aventurar em lugares paradisíacos e selvagens, conhecer metrópoles, comer comidas diferentes e encontrar pessoas que lhe acrescentarão? Acredito que todos.

Se você está solteiro (a) e em busca de um novo amor, a sua identificação poderá ser maior. Cam sofreu demais, seus sentimentos são confusos e desesperados por organização. Desde a morte de Ian, ela não consegue mais sentir as coisas, mas teme acabar igual o relacionamento fracassado e infeliz de seus pais. E ai, como em um conto de fadas, que a história muda. Ela conhece ele, Andrew.
"O pior tipo de choro não era o tipo que todo mundo poderia ver, o choro nas esquinas, as lágrimas sobre a roupa. Não, o pior tipo acontecia quando sua alma chora e não importa o que você faça, não tem como confortá-la. Um pedaço murcha e vira uma cicatriz naquela parte da sua alma que sobreviveu."
A autora decidiu por alternar os capítulos entre Andrew e Cam, nos deixando a par dos pensamentos de ambos. Com isso, eu consegui enxergar coisas sobre mim mesma. Eu sou nada mais nada menos que o reflexo da junção das personalidades dos dois protagonistas. Muitas vezes me vi em Andrew e em outras, fui Cam. A escrita é leve e saborosa. Não tem palavras difíceis e nem frases complexas, é simples, mas objetiva. O conflito interno de Andrew e Cam são transmitidos de forma mais realista e coloquial, nos deixando ainda mais inseridos àquela realidade.

Preciso confessar que a minha identificação maior foi com Andrew. Desde suas preferências musicais ao seu jeito de pensar. Com certeza ele é o meu personagem favorito e me encontro completamente apaixonada. J. A. Redmerski soube como descreve-lo e a cada vez que falava sobre o sorriso de Andrew, eu me derretia ao imagina-lo. Como a Cam mesmo dizia, é um sorriso genuíno. 
“Sabe, sempre detestei essa frase: Tem gente em situação pior que a sua; se você encarar como uma competição, claro, é sempre melhor que viver de seguro-desemprego do que ficar cego, mas não é um concurso, caralho. Certo? Dor é dor, gata. Só porque o problema de uma pessoa é menos traumático que o de outra, não significa que deva doer menos.”
Entre o agora e o Nunca, é um livro sobre amor, sexo e libertação. É sobre como se libertar dessa sociedade acomodada, dos padrões que são impostos, da maneira politicamente correta de viver e de fazer tudo em função dos outros. Essa história, me mostrou como somos sempre influenciados a pensar mais no próximo do que em nós mesmos. Seja na hora de fazer aquela faculdade que seus pais querem que você faça, seja continuar em um relacionamento doentio e perigoso apenas por medo. Medo. Talvez essa seja a grande moral dessa história, o medo não leva a lugar nenhum.

Se você não se sente à vontade ao ler cenas quentes bem descritas e sem rodeios, não acho que irá gostar, mas se ler uma cena de sexo é normal par você, invista nessa história, ela é maravilhosa. Esse gênero tem crescido cada vez mais e eu particularmente gosto de ler. Sempre nos acrescenta e apesar de às vezes os termos serem totalmente baixos, as cenas descritivas nos trazem algo mais real. 

Levo em consideração, que li em 48 horas de tão empolgada que fiquei. Fazia tanto tempo que eu não devorava um livro de maneira tão rápida e ansiosa, que ao terminar a leitura, eu suspirei pesadamente. A minha sorte, é que há a continuação, pois acho que não poderia viver sem saber mais sobre Cam e Andrew. 


Nenhum comentário